JOSÉ ANTÔNIO CAVALCANTI


















IRREPARÁVEL


            José Antônio Cavalcanti


Tudo é assim
e o ser-assim de tudo
pulsa em mínimo estado
dentro e fora de mim.

Círculo entre o início e o fim
a carta do caos e do cosmos
é assim:
escrita da indiferença derrama
ausência de refúgio ou de rumo;
as coisas todas serão
as sílabas já silenciadas
e a nascente das palavras.

Partículas perdidas
entre o poder não ser
e o não poder não ser,
as coisas, os seres, o mundo
(teus beijos e teu perfume)
são exatamente assim:
primitivos e modernos,
provisoriamente eternos.


Postagens mais visitadas