quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Zbigniew Herbert

Outras marcas da pele, Siron Franco


 
 
 
 
 
 
 
 
 


O SENHOR COGITO MEDITA SOBRE O SOFRIMENTO

Todas as tentativas de afastar
o assim chamado cálice de amargura -
pela reflexão
pela frenética ação em favor dos gatos de rua
a respiração profunda
a religião -
fracassaram

é preciso aceitar
baixar manso a cabeça
não torcer as mãos
usar o sofrimento com medida e ternura
como uma prótese
sem falsa vergonha
mas também sem orgulho inútil

nada de brandir os restos da amputação
sobre a cabeça dos outros
nada de bater com uma bengala branca
sobre a janela dos saciados

beber o extrato de ervas amargas
mas não até o fim
guardar por precaução
algumas gotas para o porvir

acolhê-lo
mas ao mesmo tempo
diferenciá-lo em si
e se isso for possível
criar da matéria do sofrimento
uma coisa ou uma pessoa


jogar
com ele
sim
jogar
brincar com ele
com muito cuidado
como se brinca com uma criança doente
para arrancar-lhe por fim
com truques bobos
a sombra
de um sorriso


Tradução de Carlito Azevedo e Olga Kempinska.

Um comentário:

  1. Es muy bella la estética de tu blog, poeta.

    Me encantaría compartir contigo algunos poemas míos, que puedes encontrar en http://retablo-de-duelos.blogspot.com o en http://premioparalucia.blogspot.com, entre muchas otras bitácoras.

    ResponderExcluir